Dólar Hoje Euro Hoje
terça-feira, 21 maio, 2024
Início » Lula: Polarização, potencial eleitoral e fadiga política – O que revela a pesquisa?

Lula: Polarização, potencial eleitoral e fadiga política – O que revela a pesquisa?

Por Marina B.

Uma pesquisa divulgada pela Genial/Quaest nesta segunda-feira (13), destacou um aparente paradoxo em relação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e suas perspectivas para uma possível reeleição em 2026. Enquanto mais da metade dos entrevistados (55%) acredita que, após um ano e meio de seu terceiro mandato, Lula não merece continuar no Palácio do Planalto, o mesmo levantamento indica sua vitória hipotética, com 46% das intenções de voto, em um confronto imaginário contra o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que teria 40% dos votos.

Especialistas consultados pela Gazeta do Povo consideram que a pesquisa reflete não apenas o humor do eleitorado em relação ao desempenho do governo, mas também uma certa fadiga em relação à figura do presidente, que não tem um sucessor óbvio em seu campo político. O percentual dos que apoiam a ideia de Lula concorrer novamente em 2026 (42%), é menor do que os 46% que votariam nele em um confronto com Tarcísio, indicando uma falta de opções claras na esquerda. Lula também lidera em potencial de voto contra o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), com 32%.

A pesquisa revela que Lula mantém apoio no eleitorado nordestino, sendo a única região onde ele é aprovado pela maioria da população (60%), que defende um novo mandato para ele. No entanto, no Sudeste, ele enfrenta a maior rejeição, com 63% dos entrevistados se opondo a um segundo mandato consecutivo. O levantamento entrevistou 2.045 eleitores presencialmente, entre os dias 2 e 6 de maio de 2024, com uma margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%.

Leandro Gabiati, diretor da Dominium Consultoria, destaca que “uma pesquisa é sempre uma foto do momento”, e que a atual visão do eleitorado reflete os diversos problemas enfrentados pelo governo, desde a gestão cotidiana até a comunicação. Ele observa que, mesmo que a maioria não apoie a ideia de uma reeleição de Lula, o cenário competitivo com vários concorrentes potenciais à direita ainda o torna um candidato viável.

Os analistas também apontam para a ausência de um sucessor claro na esquerda como um desafio para Lula. Enquanto isso, a insatisfação com sua gestão contribui para uma sensação de fadiga com sua imagem. A atuação do governo frente à crise no Rio Grande do Sul é mais um fator que pode impactar negativamente sua popularidade. A busca por soluções para reverter essa situação levou Lula a cancelar uma viagem ao Chile e convocar uma reunião de última hora com seus ministros.

Em suma, o presidente enfrenta desafios significativos à medida que sua popularidade diminui e sua gestão é criticada, tanto pela falta de comunicação eficaz quanto por problemas de realização no enfrentamento das crises.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.