Dólar Hoje Euro Hoje
segunda-feira, 15 julho, 2024
Início » Agricultores franceses tomam as ruas em protestos próximos de Paris

Agricultores franceses tomam as ruas em protestos próximos de Paris

Por Marina B.

Os agricultores franceses intensificaram seus protestos contra o aumento dos custos e a burocracia, bloqueando estradas e despejando produtos enquanto se aproximam de Paris. Este é o primeiro grande desafio para o novo primeiro-ministro, Gabriel Attal, enquanto a extrema direita observa de perto.

Produtos agrícolas, incluindo legumes, foram espalhados nas rodovias, prédios governamentais foram alvo de esterco, e tratores bloquearam o tráfego fora das principais cidades francesas na quinta-feira. Os agricultores, protestando contra importações baratas, aumento de custos e burocracia, ergueram barricadas, literalmente feitas de fardos de feno.

A rodovia A7, que liga Marselha a Lyon, foi tomada por caixas de tomates, repolhos e couves-flores, que os agricultores alegam terem sido importados de países vizinhos. Dezenas de tratores realizaram uma marcha lenta no extremo sudoeste de Paris durante o horário de pico.

O sindicato dos agricultores FNSEA entregou ao governo uma lista de 100 exigências na noite de quarta-feira, buscando maior proteção para o setor agrícola francês contra concorrência estrangeira barata e aliviando a suposta carga burocrática. O sindicato pediu a continuação dos incentivos fiscais ao diesel agrícola, pagamento imediato dos subsídios agrícolas da UE, garantias para seguros relacionados à saúde e ao clima, e ajuda aos produtores de vinho e agricultores orgânicos.

Os protestos, agora na segunda semana, são um desafio significativo para o novo primeiro-ministro, Gabriel Attal, nomeado há duas semanas para injetar vigor em sua administração. Attal e seus ministros da economia, ambiente e agricultura estão discutindo propostas concretas para lidar com as questões agrícolas.

Com as eleições para o Parlamento Europeu se aproximando, o presidente Emmanuel Macron teme que os agricultores se tornem um eleitorado crescente para a extrema direita. A líder da extrema-direita, Marine Le Pen, acusa o governo de apoiar regulamentações europeias prejudiciais aos agricultores.

Enquanto isso, em Bruxelas, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, iniciou um diálogo estratégico para reformar a agricultura, tentando abordar as preocupações levantadas por manifestantes em toda a União Europeia.

Os protestos continuam na França, com centenas de tratores passando por Rennes e Nantes, no oeste do país, na quinta-feira. Os agricultores expressam frustração, declarando que não podem mais sustentar suas profissões e destacam a necessidade de reconhecimento do valor da comida de qualidade.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.