Dólar Hoje Euro Hoje
quinta-feira, 25 julho, 2024
Início » O preço do Gás de cozinha dispara e preocupa brasileiros! Novos reajustes à vista em 2024!

O preço do Gás de cozinha dispara e preocupa brasileiros! Novos reajustes à vista em 2024!

Por Alexandre G.

O custo do gás de cozinha está em alta neste início de 2024 e promete subir ainda mais no próximo mês, trazendo preocupações para os consumidores brasileiros. O retorno dos impostos federais e estaduais sobre esse combustível essencial tem impactado diretamente no bolso das famílias.

Os valores médios do gás de cozinha aumentaram em todo o país, indo de R$ 101,85 para R$ 103,89. Estados como Pernambuco, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Alagoas lideraram com aumentos percentuais significativos.

No Norte, a disparidade de preços é ainda mais notável, com valores acima de R$ 120 em Roraima, Rondônia e Amazonas para um botijão de 13 quilos.

Esse aumento se deve à reintrodução integral dos impostos federais Pis/Cofins, anteriormente zerados desde 2021. E a situação pode se agravar em fevereiro com um novo ajuste, desta vez relacionado ao aumento dos impostos estaduais.

A partir de 1° de fevereiro, novas alíquotas de ICMS serão aplicadas sobre o gás de cozinha, aprovadas pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ) no final do ano passado. Isso deve gerar um acréscimo médio de R$ 2,03 por botijão, representando um aumento de 2% sobre o valor atual.

O Sindigás alerta para a possibilidade de alguns estados ultrapassarem o teto máximo de 18% de ICMS, estipulado para produtos essenciais, como é o caso do gás de cozinha.

Sergio Bandeira de Mello, presidente do Sindigás, expressa esperança na revisão das alíquotas estaduais: “Acreditamos que ainda há a possibilidade de revisão por parte dos estados antes do aumento previsto para 1° de fevereiro”.

Para o economista Alberto Ajzental, professor da FGV, essa mudança nas alíquotas do ICMS reflete uma tendência para 2024, onde outros serviços essenciais podem passar por reajustes semelhantes.

O presidente do Sindigás ressalta o impacto direto na vida dos brasileiros: “Vemos isso de forma negativa devido à essencialidade. Não se cozinha arroz e feijão cru, é necessário o gás de cozinha. Ele está presente em 66 milhões de lares no Brasil. 91% dos lares brasileiros utilizam GLP, então isso representa um aumento direto no custo de vida das pessoas”.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.