Dólar Hoje Euro Hoje
segunda-feira, 17 junho, 2024
Início » Pacheco adia votação da PEC do quinquênio para nova avaliação financeira

Pacheco adia votação da PEC do quinquênio para nova avaliação financeira

Por Marina B.

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado Federal, anunciou hoje em São Paulo que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Quinquênio, que propõe a concessão de bônus a juízes, passará por uma nova análise de impacto financeiro antes de ser levada à votação em plenário. Até o momento, não há uma data definida para a análise da proposta.

Pacheco destacou a necessidade de reavaliar o texto da PEC devido à inclusão de novas carreiras como beneficiárias do bônus salarial.

“Optamos por retirar a proposta da pauta devido aos recentes acontecimentos no Rio Grande do Sul e para permitir uma avaliação mais detalhada do impacto financeiro, especialmente nas carreiras do Poder Judiciário e do Ministério Público, que foram incluídas originalmente na PEC, como todos já sabem. Vamos aprofundar esse estudo em relação à manutenção da extensão a várias carreiras, conforme proposto na Comissão de Constituição e Justiça, ou se devemos nos limitar à proposta original”, afirmou o parlamentar durante um almoço no Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp).

A proposta prevê um bônus salarial para o Judiciário e o MP de 5% ao ano, até chegar a 35%. Segundo um estudo da consultoria do Senado, o impacto nos cofres públicos ao longo de três anos será de R$ 82 bilhões, com gastos de R$ 25,8 bilhões em 2024, R$ 27,2 bilhões no próximo ano e R$ 28,6 bilhões em 2026, incluindo União, Estados e municípios.

Na justificativa da PEC, Pacheco argumenta que o quinquênio visa valorizar as carreiras do Judiciário e do Ministério Público, evitando a saída de profissionais do serviço público. No entanto, a proposta pode enfrentar obstáculos na Câmara dos Deputados, onde o presidente Arthur Lira já indicou anteriormente que o texto teria dificuldade para avançar.

O debate em torno da PEC gerou controvérsia entre os operadores do direito no país. Antonio Carlos de Freitas Jr, mestre em direito constitucional pela Universidade de São Paulo (USP), descreveu a medida como um ‘fura teto’, destacando que o valor do quinquênio não seria incluído no teto remuneratório dos ministros do STF.

Pacheco também expressou expectativas sobre a conclusão da reforma tributária até o final deste ano, apesar do período eleitoral. Ele afirmou que espera que o Senado vote a regulamentação da reforma tributária até o final do ano, seguindo o exemplo da Câmara dos Deputados.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.