Dólar Hoje Euro Hoje
segunda-feira, 15 julho, 2024
Início » Governo Lula revoga isenção fiscal para pastores: Bancada evangélica aponta perseguição religiosa

Governo Lula revoga isenção fiscal para pastores: Bancada evangélica aponta perseguição religiosa

Por Alexandre G.

Nesta quarta-feira (17/1), o Ministério da Fazenda, por intermédio da Secretaria Especial da Receita Federal, emitiu um ato declaratório executivo que revogou a isenção de Imposto de Renda (IR) concedida aos ganhos de “ministros de confissão religiosa”, incluindo os pastores evangélicos. Essa isenção, anteriormente instituída pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em julho de 2022, abrangia a isenção fiscal sobre salários e remunerações pagas pelas igrejas aos pastores.

O ato afirmava que os valores despendidos por entidades religiosas e instituições de ensino vocacional com ministros de confissão religiosa, não seriam considerados como remuneração direta ou indireta, desde que destinados ao mister religioso ou à subsistência dos membros de instituto de vida consagrada, congregação ou ordem religiosa.

A revogação foi oficializada através da assinatura do secretário especial Robinson Sakiyama Barreirinhas. Em entrevista ao blog do jornalista Octavio Guedes, ao g1, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), um dos líderes da bancada evangélica, expressou a opinião de que o término desse benefício representa uma oportunidade para uma campanha contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele argumentou que a ação evidencia, na visão da bancada evangélica, a suposta perseguição aos segmentos religiosos pelo governo Lula, acusando a administração de revogar o ato declaratório para permitir interpretações subjetivas da lei pelos auditores, resultando em um retorno às práticas de aplicação excessiva de multas.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.