Dólar Hoje Euro Hoje
terça-feira, 21 maio, 2024
Início » Venezuela em posição de guerra na fronteira com a Guiana, revela relatório

Venezuela em posição de guerra na fronteira com a Guiana, revela relatório

Por Marina B.

Um relatório do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS), um think tank dos Estados Unidos, sugeriu que as recentes atividades de construção de infraestrutura e posicionamento de equipamentos militares pela Venezuela ao longo da fronteira com a Guiana estão indicando um cenário “pré-guerra”.

As descobertas desse estudo foram compartilhadas pela CNN nesta terça-feira (14). De acordo com o CSIS, a constante retórica de que “o Essequibo é nosso”, combinada com a criação de novos comandos militares e estruturas legais para supervisionar a defesa da região, está contribuindo para institucionalizar um clima de preparação para um possível conflito.

A Venezuela reivindica soberania sobre o Essequibo, uma área de quase 160 mil quilômetros quadrados que representa cerca de 70% do território da Guiana. Essa disputa remonta ao final do século XIX, quando uma decisão internacional concedeu a área ao Reino Unido, do qual a Guiana obteve independência em 1966. Um acordo foi assinado na época para resolver a disputa por meio de uma corte internacional, mas isso nunca aconteceu.

Desde 2018, a Guiana tem buscado que o caso seja decidido pela Corte Internacional de Justiça (CIJ).

A tensão aumentou em dezembro do ano passado, quando a Venezuela aprovou, em um referendo questionado, medidas para anexar o Essequibo. Desde então, o governo venezuelano aprovou a criação de um estado e uma área de segurança na região, entre outras medidas.

O CSIS observou que a Venezuela “tem pouco a ganhar e muito a perder com um conflito em larga escala”, mas continua a realizar movimentos que podem desencadear um confronto, especialmente em relação ao Essequibo.

Usando imagens de satélite e informações de redes sociais, o think tank confirmou que a base militar na Ilha Anacoco está sendo expandida, com a ampliação do campo de aviação e a instalação de uma torre de controle. Uma ponte está sendo construída sobre o rio Cuyuni para ligar a margem venezuelana à ilha. Imagens de satélite também mostram mais de 75 tendas de campanha perto do campo de aviação da ilha, sugerindo a presença de uma unidade militar considerável.

Além disso, pelo menos dois barcos rápidos Peykaap III, equipados com lançadores de mísseis e de fabricação iraniana, foram avistados perto da estação da guarda costeira venezuelana em Punta Barima, a apenas 64 quilômetros da fronteira com a Guiana.

O relatório surge em meio a uma escalada das tensões militares na região. Na semana passada, o ministro da Defesa da Venezuela anunciou o envio de “patrulhas aéreas” após os Estados Unidos terem sobrevoado Georgetown, capital da Guiana, com dois aviões da Marinha.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.