Dólar Hoje Euro Hoje
quarta-feira, 24 julho, 2024
Início » Crise no Governo Francês! Renúncia Inesperada da Primeira-Ministra Francesa Elisabeth Borne

Crise no Governo Francês! Renúncia Inesperada da Primeira-Ministra Francesa Elisabeth Borne

Por Alexandre G.

A primeira-ministra da França, Elisabeth Borne, apresentou sua renúncia ao cargo nesta segunda-feira, num momento crucial para o presidente do país, Emmanuel Macron, que busca redefinir sua estratégia para o segundo mandato, visando as eleições parlamentares europeias e os Jogos Olímpicos de Paris, ambos previstos para este ano. Até o momento, Macron ainda não indicou um sucessor para Borne.

A saída de Borne ocorre após um ano de turbulências políticas, marcado por debates acalorados sobre reformas na Previdência e leis de imigração. A renúncia surge também a cinco meses das eleições para o Parlamento Europeu, em um cenário em que críticos da União Europeia podem obter votações expressivas, impulsionados pelo descontentamento geral com o custo de vida e a dificuldade dos governos em conter os fluxos migratórios.

Pesquisas de opinião na França indicam uma vantagem de 8 a 10 pontos percentuais para o partido de Marine Le Pen, líder de extrema-direita, sobre o partido de Macron antes das eleições de junho.

O clima de especulação sobre uma possível reforma ministerial aumentou nas últimas semanas, especialmente após a aprovação apertada de medidas mais restritivas na imigração, expondo fissuras na coalizão de centro que sustenta Macron e sua promessa de uma nova fase política.

Dentre os possíveis substitutos para Borne estão Gabriel Attal, ministro da Educação, de 34 anos, e Sebastien Lecornu, ministro da Defesa, com 37 anos. Caso um deles seja escolhido, será o primeiro-ministro mais jovem da história da França.

Outros nomes como Bruno Le Maire, ministro das Finanças, e Julien Denormandie, ex-ministro da Agricultura, também estão sendo considerados como opções.

A mudança no cargo não necessariamente indicará uma mudança radical na orientação política do governo, mas deverá sinalizar a intenção de superar a fase das reformas e direcionar esforços para novas prioridades, como o pleno emprego.

Borne, uma discreta burocrata que serviu a vários ministros do Partido Socialista antes de ingressar no governo de Macron, ocupava o cargo de primeira-ministra desde maio de 2022. Aos 62 anos, ela foi a segunda mulher a assumir esse posto na França.

O governo de Macron enfrentou dificuldades para lidar com um Parlamento mais hostil após perder a maioria absoluta logo após sua reeleição para o segundo mandato em 2022.

Conselheiros de Macron afirmam que ele conseguiu superar os desafios mais difíceis de suas propostas econômicas durante o primeiro ano e meio do segundo mandato, mesmo sem uma maioria absoluta, e que futuras reformas, como na educação e na legislação sobre a eutanásia, deverão ser mais consensuais.

No entanto, a polêmica decisão de Macron de aumentar a idade mínima de aposentadoria para 64 anos gerou semanas de protestos violentos no país.

Essa reestruturação deve acirrar a competição no campo político de Macron sobre quem poderá sucedê-lo na eleição presidencial de 2027. Ex-primeiro-ministro Edouard Philippe e o ministro do Interior, Gerard Darmanin, são vistos como potenciais candidatos, juntamente com Bruno Le Maire.

Você pode se Interessar

Deixe um Comentário

Sobre nós

Somos uma empresa de mídia. Prometemos contar a você o que há de novo nas partes importantes da vida moderna

@2024 – Todos os Direitos Reservados.